Format

PDF

95 record(s)

 

Type of resources

Available actions

INSPIRE themes

Provided by

Years

Formats

Representation types

Update frequencies

Scale

Resolution

geoDescCode

cartografia

geographicCoverage

geographicCoverageDesc

inspirecore

referenceDateRange

denominatorRange

resolutionRange

dataPolicy

openServiceType

dataType

dataFormat

From 1 - 10 / 95
  • A Carta do Campo Magnético Reduzido ao Pólo da Região de Neves-Corvo, à escala 1:50 000, foi produzida pelo Laboratório Nacional de Energia e Geologia (LNEG), no âmbito do projeto EXPLORA: Definição de novos vetores de conhecimento geológico, geofísico e geoquímico para a região setentrional de Neves-Corvo, financiado pelo programa Alentejo2020. Compõem este mapa a Carta da Intensidade do Campo Magnético Subtraído do IGRF, Carta da Primeira Derivada Vertical do Campo Magnético Subtraído do IGRF, Carta do Sinal Analítico do Campo Magnético Subtraído do IGRF e mapa de localização das leituras realizadas durante os voos aeromagnéticos. Na Carta do Campo Magnético Reduzido ao Pólo são indicados os contornos dos limites geológicos e falhas referenciadas na Carta Geológica e Mineira de Neves-Corvo, Projeto EXPLORA. No documento são também indicados dados de suscetibilidade magnética. O mapa principal reflete o comportamento do campo magnético na região de Neves-Corvo, sendo uma ferramenta útil em prospeção mineral através da indicação de eixos vulcânicos e exalitos com minerais magnéticos.

  • Digital archive of the analyzes of the surface charts of 00 UTC and 12 UTC, held in IM and IPMA Weather Forecast Center since October 2015. In the surface analysis charts, the isobars are filled up every 5 hPa, the high pressure centers (A) and the low pressure centers (B). Frontal surfaces, crest lines, valley lines, lines of instability and convergence are represented according to the standards established by the WMO. This compilation is in digital format (pdf) with a total of 1094 charts.

  • A Carta Radiométrica (Taxa de Exposição) da Região de Neves-Corvo, à escala 1:50 000, foi produzida pelo Laboratório Nacional de Energia e Geologia (LNEG), no âmbito do projeto EXPLORA: Definição de novos vetores de conhecimento geológico, geofísico e geoquímico para a região setentrional de Neves-Corvo, financiado pelo programa Alentejo2020. O mapa foi feito a partir do processamento de dados aeroradiometricos (canais K, Th, U e Contagem Total), existentes no LNEG, compilados a partir da Carta Radiométrica da Zona Sul Portuguesa (Batista et al., 2016). O mapa inclui Composição Aster, modelo 3D da mesma e pormenores sobre anomalias selecionadas.

  • A Carta Geológica e Mineira da Região de Neves-Corvo, à escala 1:50 000, foi produzida pelo Laboratório Nacional de Energia e Geologia (LNEG), no âmbito do projeto EXPLORA: Definição de novos vetores de conhecimento geológico, geofísico e geoquímico para a região setentrional de Neves-Corvo, financiado pelo programa Alentejo2020. Na produção deste mapa a cartografia geológica de base (Folha de Almodôvar 46C, Oliveira et al., 2016) foi correlacionada com a interpretação de estruturas a partir de levantamentos de campo e de análise de dados geofísicos. O mapa inclui também ocorrências minerais reconhecidas em afloramento e os contornos das massas de sulfuretos da mina de Neves-Corvo (informação cedida pela empresa Somincor-Lundin Mining). A coluna estratigráfica apresentada reflete a investigação feita em Neves-Corvo com base em datação de rochas vulcânicas por isótopos U/Pb em zircões e de rochas sedimentares por palinologia e estudo de sondagens de prospeção mineral.

  • Localização do NDB (Non directional beacon) do Pico - Equipamento de rádio-navegação aérea - SATA Gestão de Aerodromos

  • O Mapa Geológico do Sector Nordeste de Bragança foi produzido no âmbito da tese de Doutoramento de Carlos Meireles. A região abrangida por este mapa situa-se geologicamente no limite entre a Zona Centro Ibérica e a Zona Galiza Trás-os-Montes do Maciço Ibérico, sendo a continuação, para o território português, da estrutura sinforme de Alcañices. Esta região é constituída fundamentalmente por metassedimentos e metavulcanitos paleozóicos, de idade no intervalo Ordovícico – Devónico. A cartografia geológica, complementada pela investigação litoestratigráfica, litogeoquímica e estrutural permitiu a definição formal de várias unidades litoestratigráficas, quer na sequência autóctone, quer na parautóctone, segundo os critérios propostos no Guia Estratigráfico Internacional.

  • A Carta das Encostas foi elaborada com base na altimetria do concelho. Esta Carta tem como objectivo a visualização das orientações das encostas do Município de Vale de Cambra.

  • A Carta Geoquímica de Cobre em solos da Zona Sul Portuguesa, Faixa Piritosa Ibérica, à escala 1:400 000 foi produzida com base nos levantamento geoquímicos ocorridos no sul de Portugual no âmbitos das campanhas de prospeção de minérios metálicos tanto pelo LNEG e instituições antecedentes como por empresas mineiras.

  • A Carta do Património Geológico e Mineiro da Zona Sul Portuguesa, à escala 1:400 000, foi produzida pela Junta de Andaluzia (JA), Instituto Geológico e Mineiro de Espanha (IGME) e Laboratório Nacional de Energia e Geologia, I.P. (LNEG), no âmbito do projeto Geo_FPI - Observatório Transfronteiriço para a Valorização Geo-Económica da Faixa Piritosa Ibérica, financiado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), programa INTERREG VA Espanha - Portugal (POCTEP) 2014-2020. Este mapa contempla os principais complexos patrimoniais mineiros da Faixa Piritosa, possibilitando a preparação da sua visita, num itinerário transfronteiriço de 10 sítios distribuídos entre ambos os países: Peña de Hierro, Concepción, La Zarza, Confesionarios (Valdelamusa), San Telmo e Tharsis em Espanha e São Domingos, Aljustrel, Lousal e Caveira em Portugal. Cada uma destas áreas mineiras possui vários elementos de património industrial associado à atividade extrativa, organizados num trilho próprio, como cortas (escavação a céu aberto), áreas de tratamento e de processamento de minério, poços de extração, infraestruturas de transporte, oficinas e outros elementos auxiliares de arqueologia industrial presente em cada complexo mineiro. Os vários circuitos mineiros figuram no verso do mapa.

  • A Carta Radiométrica (Contagem Total) da Zona Sul Portuguesa, Faixa Piritosa Ibérica, à escala 1:400 000, foi produzida pelo Laboratório Nacional de Energia e Geologia (LNEG), a partir do processamento de dados de aeroradiometria (Contagem Total) que deu origem à Carta Radiométrica de Portugal à escala 1:500 000 (Batista et al., 2013).