From 1 - 10 / 13
  • Nomes geográficos do relevo submarino - Portugal Continental e Arquipélago dos Açores

  • Carta Geológica de Portugal à escala 1:1 000 000, editada pelo LNEG em 2010, modificada de acordo com as especificações INSPIRE. Os níveis de informação disponibilizados são as Unidades Geológicas, classificadas segundo as litologias e idades representativas, e as Falhas. Este conjunto de dados foi preparado no âmbito do projeto OneGeology-Europe e harmonizado de acordo com os vocabulários da Diretiva INSPIRE.

  • Carta aeronáutica do arquipélago dos Açores, abrangendo a área da TMA de Santa Maria.

  • A Carta Neotectónica de Portugal Continental à escala 1:1 000 000 constitui uma edição conjunta dos Serviços Geológicos de Portugal (SGP), da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL) e do Gabinete de Proteção e Segurança Nuclear, cuja principal característica é a representação das principais estruturas geológicas ativas que afetam o território de Portugal Continental.

  • O Mapa Geológico de Espanha e Portugal à escala 1:1 000 000 editado pelo Instituto Geológico y Mineiro de España (IGME), em 2015, com a colaboração do Laboratório Nacional de Energia e Geologia (LNEG), constitui a versão atualizada da cartografia geológica da Península Ibérica assim como de Ceuta e Melilla e de todo o território insular de Espanha e Portugal: Ilhas Baleares, Canárias, Açores e Madeira. Esta versão inclui pela primeira vez a cartografia geológica da plataforma continental de ambos os países e das ilhas atlânticas. Neste mapa reune-se todo o conhecimento geológico proporcionado pela conclusão da série MAGNA de cartografia geológica à escala 1:50 0000 do IGME, para o território espanhol, e da cartografia geológica sistemática do território de Portugal realizada pelo LNEG. A parte continental do mapa foi compilada a partir de sínteses anteriores à escala 1:400 000 elaboradas para cada uma das grandes unidades geológicas de Espanha, nomeadamente, Maciço Varisco, Pirinéus, Cordilheira Bética, Cordilheira Cantábrica e Ibérica e Bacias do Douro, Tejo e Ebro, e na cartografia geológica à escala 1:200 000 realizada em Portugal.

  • Redes de transporte e rede hidrográfica em formato vetorial à escala 1:1 000 000 de Portugal Continental e das Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira. Os principais objetos do tema Redes de Transporte são a rede ferroviária, a rede viária, os aeroportos e os transportes marítimos. Os principais objetos do tema Rede Hidrográfica são a linha de costa, os cursos de água (naturais ou artificiais), as valas, as lagoas, as albufeiras e as principais barragens. Informação adicional e descarregamento de dados disponível em https://eurogeographics.org/products-and-services/open-data/topographic-data/

  • Este tema contém os Esquemas de Separação de Tráfego (EST) para segurança da navegação ao longo da costa Portuguesa, respectivamente o EST do Cabo da Roca e o EST do Cabo de São Vicente . Inclui ar Área A Evitar (AAE) das Berlengas.

  • A Carta Geológica de Portugal à escala 1:1 000 000, editada pelo LNEG em 2010, constitui o documento síntese do conhecimento actual sobre a geologia de Portugal Continental e de todo o território insular: Ilhas dos Arquipélagos dos Açores e da Madeira. Este mapa inclui pela primeira vez a cartografia geológica da área imersa da plataforma continental de Portugal Continental que reúne a informação gerada em mais de 30 anos de investigação em geologia marinha. O mapa é constituído por: Carta Geológica de Portugal Continental, Carta Geológica da Região Imersa de Portugal, Carta Geológica do Arquipélago dos Açores, Carta Geológica do Arquipélago da Madeira (escala 1:1 000 000), Esquema Neotectónico de Portugal Continental com Hipsometria à escala 1:4 000 000, Esquema Tectono-Estratigráfico de Portugal Continental à escala 1:5 000 000 e Mapa de localização à escala 1:20 000 000.

  • Representa um índice que apresenta estimativas absolutas da variação do coberto vegetal para cada sítio e durante o decénio em extensão e da intensidade da perda de funções ecológicas e da degradação das terras, incluindo o solo.

  • Avalia a relação dos valores da precipitação (P) com os da evapotranspiração potencial (ETP) para cada local entre os anos 1971 e 2000. A classe das “Áreas Secas” definida por este índice inclui as subunidades: Sub-húmido Seco (P/ETP entre 50% e 65%), Semi-árido (20 -50%) e Árido (5 -20%), sendo que apenas as duas primeiras ocorrem regularmente em Portugal.