Creation year

2001

54 record(s)

 

Type of resources

Available actions

INSPIRE themes

Provided by

Years

Formats

Representation types

Update frequencies

Scale

Resolution

geoDescCode

cartografia

geographicCoverage

geographicCoverageDesc

inspirecore

referenceDateRange

denominatorRange

resolutionRange

dataPolicy

openServiceType

dataType

dataFormat

From 1 - 10 / 54
  • Cartografia topográfica em formato vectorial à escala 1:10 000 do continente.Para a elaboração desta série foram construidos dois modelos, o Modelo Numérico Topográfico (MNT) que é fundamentalmente vocacionado para utilizadores que pretendam construir um SIG. Deste modelo é derivado o Modelo Numérico Cartográfico (MNC) por aplicação das convenções cartográficas. O Modelo Numérico Altimétrico é um subconjunto do MNT para a informação altimétrica contendo informação do relevo, materializada pela rede de triângulos (TIN), ou em grelha no modo ASCII. A informação associada ao MNT encontra-se multicodificada e estruturada segundo os domínios seguintes: rede geodésica, limites, relevo, altimetria (2D e 3D), construções, estruturas de transporte e abastecimento, áreas de lazer e recreio, vias de comunicação, áreas agricolas e florestais, hidrografia (2D e 3D), áreas diversas e áreas industriais. A codificação é feita através de códigos de 8 digitos identificando domínio, sub-domínio, Familia e Objecto, que definem cada tipo de elemento univocamente no catálogo de objectos.

  • O reportório toponímico, da série M889, encontra-se disponível ao público estruturado em ficheiros 2D. Esta informação está directamente relacionada com a denominação das entidades geográficas representadas, o canto inferior esquerdo da caixa dos topónimos indica a localização da entidade geográfica, ou no caso dos vértices geodésicos o ponto central inferior da referida caixa. Apesar da escala, este reportório, é extremamente rico em informação constituindo-se num valor acrescentado sem igual para qualquer projecto.

  • Altimetria à escala 1/2 000 da ilha do Faial com espaçamento de 10 metros entre as curvas de nível mestras e de 2 metros entre as curvas de nível secundárias.

  • Toda a actividade exercida pelo IGeoE é decorrente da missão que lhe está superiormente atribuída. A Nato na prossecução de objectivos comuns, não só no âmbito militar mas também noutras áreas, ao dispôr de um vasto suporte científico e tecnológico dado pelos países que a integram, reconhece as vantagens da adopção de um sistema de georeferenciação único. Foram então dadas indicações aos países membros através da directiva AD-80 (Allied Command Europe Directive 80) para se passar a utilizar o sistema de georeferenciação WGS84, sugerindo adicionalmente a criação de programas de conversão para toda a cartografia existente.

  • Sistema de quadrícula geográfica adoptada para cartografia militar produzida no IGeoE. Sistemas de projeção: Gauss-Krugger (projeção associada ao Datim de Lisboa, vem sendo substituída pela Transversa de Mercator Centro de Projeção: Elipsoide: Internacional; Tipo Datum: Local; Datum Horizontal: Lisboa; Datum vertical: Marégrafo de Cascais. Sistemas de referenciação: -Gauss (DLX); EPGS - 20790; Tipo de quadrícula: Secundária; Menor graduação: Quilométrica;

  • Sistema de quadrícula geográfica adoptada para cartografia militar produzida no IGeoE.

  • Cartografia topográfica em formato vectorial à escala 1:10 000 do continente.Para a elaboração desta série foram construidos dois modelos, o Modelo Numérico Topográfico (MNT) que é fundamentalmente vocacionado para utilizadores que pretendam construir um SIG. Deste modelo é derivado o Modelo Numérico Cartográfico (MNC) por aplicação das convenções cartográficas. O Modelo Numérico Altimétrico é um subconjunto do MNT para a informação altimétrica contendo informação do relevo, materializada pela rede de triângulos (TIN), ou em grelha no modo ASCII. A informação associada ao MNT encontra-se multicodificada e estruturada segundo os domínios seguintes: rede geodésica, limites, relevo, altimetria (2D e 3D), construções, estruturas de transporte e abastecimento, áreas de lazer e recreio, vias de comunicação, áreas agricolas e florestais, hidrografia (2D e 3D), áreas diversas e áreas industriais. A codificação é feita através de códigos de 8 digitos identificando domínio, sub-domínio, Familia e Objecto, que definem cada tipo de elemento univocamente no catálogo de objectos.

  • Cartografia topográfica em formato vectorial à escala 1:10 000 do continente.Para a elaboração desta série foram construidos dois modelos, o Modelo Numérico Topográfico (MNT) que é fundamentalmente vocacionado para utilizadores que pretendam construir um SIG. Deste modelo é derivado o Modelo Numérico Cartográfico (MNC) por aplicação das convenções cartográficas. O Modelo Numérico Altimétrico é um subconjunto do MNT para a informação altimétrica contendo informação do relevo, materializada pela rede de triângulos (TIN), ou em grelha no modo ASCII. A informação associada ao MNT encontra-se multicodificada e estruturada segundo os domínios seguintes: rede geodésica, limites, relevo, altimetria (2D e 3D), construções, estruturas de transporte e abastecimento, áreas de lazer e recreio, vias de comunicação, áreas agricolas e florestais, hidrografia (2D e 3D), áreas diversas e áreas industriais. A codificação é feita através de códigos de 8 digitos identificando domínio, sub-domínio, Familia e Objecto, que definem cada tipo de elemento univocamente no catálogo de objectos.

  • Cartografia topográfica em formato vectorial à escala 1:10 000 do continente.Para a elaboração desta série foram construidos dois modelos, o Modelo Numérico Topográfico (MNT) que é fundamentalmente vocacionado para utilizadores que pretendam construir um SIG. Deste modelo é derivado o Modelo Numérico Cartográfico (MNC) por aplicação das convenções cartográficas. O Modelo Numérico Altimétrico é um subconjunto do MNT para a informação altimétrica contendo informação do relevo, materializada pela rede de triângulos (TIN), ou em grelha no modo ASCII. A informação associada ao MNT encontra-se multicodificada e estruturada segundo os domínios seguintes: rede geodésica, limites, relevo, altimetria (2D e 3D), construções, estruturas de transporte e abastecimento, áreas de lazer e recreio, vias de comunicação, áreas agricolas e florestais, hidrografia (2D e 3D), áreas diversas e áreas industriais. A codificação é feita através de códigos de 8 digitos identificando domínio, sub-domínio, Familia e Objecto, que definem cada tipo de elemento univocamente no catálogo de objectos.

  • Aglomerado populacional com dez ou mais alojamentos destinados à habitação de pessoas e com uma designação própria, independentemente de pertencer a uma ou mais freguesias, para Região Autónoma da Madeira. Notas: Os seus limites, em caso de dificuldade na sua clara identificação,tiveram em atenção a continuidade de construção, ou seja os edifícios que não distem entre si mais de 200 metros. Para este efeito, não se considerou a descontinuidade de construção motivada por interposição de vias de comunicação, campos de futebol, logradouros, jardins, etc. --- esta nota foi acrescentada ao conceito em 2002/02/21, de acordo com o definido no "Manual de Procedimentos da Construção da BGRI de 2001.