Catalog

52 record(s)

 

Type of resources

Available actions

INSPIRE themes

Provided by

Years

Formats

Representation types

Update frequencies

Scale

Resolution

geoDescCode

cartografia

geographicCoverage

geographicCoverageDesc

inspirecore

referenceDateRange

denominatorRange

resolutionRange

dataPolicy

openServiceType

dataType

dataFormat

From 1 - 10 / 52
  • O mapa geológico do Anticlinal de Estremoz resulta da compilação à escala 1:10 000 de todos os trabalhos de cartografia realizados até 1997 (a escalas 1:2 000 e 1:5 000) que tiveram como objetivo o conhecimento detalhado da distribuição dos mármores nesta região e avaliação das suas potencialidades para fins ornamentais. Coloca em particular evidência as duas fases de dobramento que afetam o anticlinal. Serviu de apoio à elaboração do PROZOM – Plano Regional de Ordenamento da Zona dos Mármores e ao planeamento da atividade extrativa por parte dos industriais do setor.

  • O Mapa Geológico Simplificada do Município de Góis foi elaborado pelo Laboratório Nacional de Energia e Geologia (LNEG), a pedido da Câmara Municipal de Góis, no seguimento do colóquio "Penedos de Góis - apresentação, propostas de classificação, valorização e promoção" que ocorreu a 3 de dezembro de 2012. Este mapa é constituído pela geologia do Município de Góis e também por um layer com os principais geossitios.

  • CERAM é a abreviatura utilizada para designar o sistema de informação que foi concebido no âmbito do Programa de Valorização de Matérias Primas Cerâmicas.

  • O mapa do potencial energético das energias marinhas de Portugal Continental é constituído pelo mapeamento das principais grandezas eólicas e ondas para as alturas de referência de 100m - Eólica e à superfície – caso das ondas. As grandezas mapeadas na vertente eólica, elaboradas com modelos atmosféricos de mesoescala, capazes de descrever as principais fenomenologias de vento junto da costa portuguesa, correspondem à velocidade média do vento [m/s], fluxo de potência Incidente do vento [W/m2] e mapas do número anual de horas anuais equivalentes à potência nominal - NEPS de uma turbina de referência padrão bem como mapas NEPS [h/ano] específicos para sistemas fixos – “Jacket” e “Monopile” ou Flutuantes – WindFloat. OS mapas Eólicos produzidos representam a climatologia do vento bem como características da fenomenologia inerente à interface terra-mar ao longo da Costa Portuguesa. Relativamente à componente da energia das ondas é representado a estimativa a potência do recurso das ondas bem como a representação da estimativa para os principais sistemas padrão das ondas – sistema coluna de água oscilante, sistema dois corpos oscilando em arfagem e sistemas tipo pala oscilante assentes no fundo do mar. Os mapas do recurso energético das ondas foram obtidos com base em dados experimentais (10 anos de dados) compilados e oriundos da base de dados ONDATLAS bem como de dados obtidos por modelação numérica com o modelo MAR3G. Os mapas do recurso energético das ondas traduzem as características do recurso médio anual das ondas para um período de 10 anos sendo suficientemente representativo da climatologia do estado do mar para Portugal Continental. Todos os mapas da energia das ondas são expressos na unidade [kW/m]. É de referir que os mapas eólicos e das ondas são processados com elevada resolução espacial de 1km x 1km e representam as características espaciais do recurso das energias marinhas desde a linha de costa até à batimétrica dos 300m.

  • A cartografia geológica dos núcleos de exploração de mármores do Anticlinal de Estremoz foi realizada entre 2003 e 2008 com uma temática vocacionada para apoiar o sector industrial e o ordenamento do território. Os mapas produzidos para os 5 núcleos de exploração, correspondentes às 5 Unidades de Ordenamento para a indústria extrativa definidas no PROZOM - Plano Regional de Ordenamento da Zona dos Mármores, permitem distinguir as principais variedades de mármores, bem como a sua estruturação tectónica que muito condiciona a sua exploração.

  • O Mapa de Depósitos de Matérias Primas Críticas em Portugal Continental é uma compilação das ocorrências e depósitos minerais conhecidos, que contêm algumas das matérias primas críticas, de acordo com a última lista publicada pela Comissão Europeia em setembro de 2020.

  • A cartografia geológica da área envolvente à Pedreira do Mestre André em Barrancos foi realizada em 2001 para suportar a avaliação dos recursos disponíveis nesta área para a produção de xistos para fins ornamentais. Foi acompanhada de uma campanha de sondagens e de levantamento do estado de fraturação do maciço. Como fatores condicionantes ao aproveitamento dos xistos definiram-se duas famílias de falhas: uma subparalela à estrutura regional e a que estão associados pequenos dobramentos e outra orientada E-W com pendores de 30º a 60º para norte que apresentam espessas zonas de esmagamento injetadas por quartzo. Delimitou-se uma área preferencial para o desenvolvimento da lavra a curto prazo e a que correspondem 30000 m3 de recursos.

  • Este mapa geológico coloca em evidência os mármores da região compreendida entre Viana do Alentejo – Alvito. Os mármores afloram em vasta área desta região, a qual corresponde a uma estrutura anticlinal controlada por falhas. Os mármores apresentam grão grosseiro e cores esverdeadas, sendo explorados desde há muitos anos em algumas pedreiras de dimensões relativamente reduzidas.

  • Carta Geológica de Portugal à escala 1:200 000, constituída pelas folhas publicadas a esta escala (Folhas: 1, 2, 7 e 8). Informação mais detalhada de cada uma das folhas disponível através dos seguintes endereços: Folha 1 - https://sig.lneg.pt/metadados/catalog/search/resource/details.page?uuid=ce9a411309734284a3f7aa2502aae7fe Folha 2 - https://sig.lneg.pt/metadados/catalog/search/resource/details.page?uuid=d19254e5adca4501b07452e8d5454b3f Folha 7 - https://sig.lneg.pt/metadados/catalog/search/resource/details.page?uuid=87fc2002416349c793c9512512db2e52 Folha 8 - https://sig.lneg.pt/metadados/catalog/search/resource/details.page?uuid=a5d86c88ed884db1a5973c9e93e5d1cc

  • Carta Geológica de Portugal à escala 1:1 000 000, editada pelo LNEG em 2010, modificada de acordo com as especificações INSPIRE. Os níveis de informação disponibilizados são as Unidades Geológicas, classificadas segundo as litologias e idades representativas, e as Falhas. Este conjunto de dados foi preparado no âmbito do projeto OneGeology-Europe e harmonizado de acordo com os vocabulários da Diretiva INSPIRE.