Índice de Aridez 1980/2010

Conjunto de Dados Geográficos
Identificação do Conjunto de Dados Geográficos
Elementos de Referência
Titulo: Índice de Aridez 1980/2010 (eng)
Título Alternativo: Índice de Qualidade do Clima (IQC)
Data de Referência: 2012-05-03, Publicação
Edição:
Data de Edição:
Identificador: http://id.igeo.pt/cdg/446d1d03-f0b1-4fd0-8e16-4d2c01f76b93
Série:
Resumo
Avalia a relação dos valores da precipitação (P) com os da evapotranspiração potencial (ETP) para cada local entre os anos 1981 e 2010. A classe das “Áreas Secas” definida por este índice inclui as subunidades: Sub-húmido Seco (P/ETP entre 50% e 65%), Semi-árido (20 -50%) e Árido (5 -20%), sendo que apenas as duas primeiras ocorrem regularmente em Portugal. (eng)
Objectivo
O objetivo do Índice de Aridez é ser uma ferramenta útil de mapeamento do território nacional em zonas de aridez, formulado como a relação entre a precipitação e a evapotranspiração potencial, é um subproduto do 2dRUE e tem um valor intrínseco para delimitar as áreas secas potencialmente afetadas pela desertificação.
Contacto (pointOfContact)
Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, I.P., Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, I.P.
Telefone: (351) 213 507 900 , Fax:
Endereço: Avenida da República, nº 16 A e B, Lisboa, 1050-191 Lisboa, Portugal
Palavras-chave Descritivas (Tema)
Palavras-chave: Características geometeorológicas
Thesaurus
Titulo: GEMET - INSPIRE themes, version 1.0
Título Alternativo:
Data de Referência: 2008-06-01, Publicação
Edição:
Data de Edição:
Identificador:
Série:
Palavras-chave Descritivas ()
Palavras-chave: Indice de aridez; Desertificação; Precipitação; Índice de Qualidade do Clima (IQC); Evapotranspiração
Palavras-chave Descritivas ()
Palavras-chave: Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, I.P.; ICNF, I.P.; ICNF
Palavras-chave Descritivas ()
Palavras-chave: INSPIRECORE; infoFeatureAccessService; infoMapAccessService; Cartografia Oficial
Restrições
Limitação Ao Uso: Sem restrições
Restrições de Acesso: Outras Restrições
Restrições ao Uso: Outras Restrições
Outras Restrições: A utilização ou divulgação deste conjunto de dados geográficos requer sempre a indicação expressa da sua proveniência e autoria: ICNF.
Sem restriçõesunclassified
Resolução Espacial
Escala Equivalente (denominador): 1000000
Distância no Terreno (metros):
Extensão
Descrição da Extensão:
Extensão Geográfica
W: -13.46, E: -2.93, S: 36.70, N: 42.56
Identificador Geográfico: PT1
Créditos:
Tipo de Representação Espacial: vector
Idioma do CDG: Português
Conjunto de Caracteres Utilizados: utf8
Categoria Temática: Climatologia Atmosfera
Distribuição
Formato
Nome do Formato: Esri shapefile
Versão: não se aplica
Formato
Nome do Formato: KML
Versão: não se aplica
Contacto (Distribuidor)
Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, I.P., Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, I.P.
Telefone: (351) 213 507 900 , Fax:
Endereço: Avenida da República, nº 16 A e B, Lisboa, 1050-191, Portugal
Opções de Distribuição
Unidades de Distribuição:
Tamanho de Transferência (Mb):
Acesso Online
Função do Recurso Online:
Função do Recurso Online:
Função do Recurso Online:
Função do Recurso Online:
Qualidade
Nível Hierárquico dos Dados: Conjunto de Dados Geográficos
Histórico
Declaração
No referente à cartografia da Precipitação (R), a abordagem metodológica desenvolvida incluiu as seguintes etapas: 1. Selecção, ajustamento e completar das séries de precipitação que viriam a ser posteriormente modeladas; 2. Produção de um conjunto de variáveis auxiliares, na maioria relacionadas com aspectos fisiográficos do território,testadas como variáveis explicativas da precipitação; 3. Modelação da distribuição espacial da precipitação, com recurso a diversas técnicas de interpolação uni-variadas e multi-variadas; 4. Confrontação dos resultados obtidos pelos diferentes métodos de interpolação associados aos diversos níveis de desagregação espacial analisados, tendo-se concluído que as estimações de precipitação geradas com base na técnica de krigagem utilizando a altitude como deriva externa são as mais fiáveis, pelo que os seus resultados para a resolução espacial de 1x1 km são os adoptados para a cartografia do indicador Precipitação. A carta da Evapotranspiração Potencial (ETP) reporta-se à avaliação e cartografia deste parâmetro pelo método de Penman. De facto, a estimação da ETP para o período em questão foi desenvolvida com base em 59 estações para os quais se disponha dos valores obtidos quer pelo método de Penman, quer pelo método de Thorntwaite, e mais 13 estações para os quais se disponha apenas de valores obtidos pelo último método. Para estas foi desenvolvido um factor multiplicativo, obtido a partir da krigagem dos valores da razão dos valores Penman/ Thorntwaite nas primeiras 59 estações, o que permitiu o recurso a 72 estações no global.Havendo impossibilidade de recurso a outras variáveis auxiliares, designadamente a altitude e a distância ao litoral, dadas as fracas correlações obtidas com elas, concluiu-se todavia que o processo de krigagem para a estimação global da carta de ETP para Portugal Continental apresenta os melhores resultados, com erros mais baixos e um mapa melhor estruturado.
Etapa do Processo
Descrição da Etapa
1. Selecção, ajustamento e completar das séries de precipitação que viriam a ser posteriormente modeladas;
Justificação da Etapa:
Data e Hora da Execução da Etapa: 2016-04-28T00:00:00
Etapa do Processo
Descrição da Etapa
2. Produção de um conjunto de variáveis auxiliares, na maioria relacionadas com aspectos fisiográficos do território,testadas como variáveis explicativas da precipitação;
Justificação da Etapa:
Data e Hora da Execução da Etapa: 2016-04-28T00:00:00
Etapa do Processo
Descrição da Etapa
3. Modelação da distribuição espacial da precipitação, com recurso a diversas técnicas de interpolação uni-variadas e multi-variadas;
Justificação da Etapa:
Data e Hora da Execução da Etapa: 2016-04-28T00:00:00
Etapa do Processo
Descrição da Etapa
4. Confrontação dos resultados obtidos pelos diferentes métodos de interpolação associados aos diversos níveis de desagregação espacial analisados.
Justificação da Etapa:
Data e Hora da Execução da Etapa: 2016-04-28T00:00:00
Fonte dos Dados
Descrição da Fonte: http://www.icnf.pt/portal/naturaclas/ei/unccd-PT/ond/indicadores-de-desertificacao/desertwatch-i
Denominador da Escala da Fonte:
Relatório - Consistência de Domínio
Designação da Medida:
Identificação da Medida:
Descrição da Medida:
Tipo de Método de Avaliação:
Descrição do Método de Avaliação:
Data e Hora da Medição:
Resultado da Medição (Conformidade)
Elementos de Referência da Especificação de Conformidade
Titulo: REGULAMENTO (UE) N. o 1089/2010 DA COMISSÃO de 23 de Novembro de 2010 que estabelece as disposições de execução da Directiva 2007/2/CE do Parlamento Europeu e do Conselho relativamente à interoperabilidade dos conjuntos e serviços de dados geográficos
Título Alternativo:
Data de Referência: 2010-12-08, publication
Edição:
Data de Edição:
Identificador:
Série:
Explicação da Conformidade: Ver a especificação citada.
Decisão de Conformidade: false
Sistema de Referência
Nome do Sistema de Referência:
Código do Sistema de Referência: EPSG:http://www.opengis.net/def/crs/EPSG/0/3763
Nome do Sistema de Referência:
Código do Sistema de Referência: EPSG:http://www.opengis.net/def/crs/EPSG/0/3035
Metametadados
Identificador Único: 446d1d03-f0b1-4fd0-8e16-4d2c01f76b93
Idioma dos Metadados: Português
Contacto (pointOfContact)
Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, I.P., Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, I.P.
Telefone: (351) 213 507 900 , Fax:
Endereço: Avenida da República, nº 16 A e B, Lisboa, 1050-191, Portugal
Data dos Metadados: 2019-05-29
Designação da Norma e Perfil de Metadados : ISO 19115 Sistema de Metadados dos Açores
Versão da Norma de Metadados : v.0.9.1
Folha de Estilos "MIG Azul e Cinza Claro", 28 de Agosto de 2009